Agora é de verdade / Meus pinceis


SPOILER: Texto longo :D

Eu sempre fui uma pessoa que escrevia muito. Tive diários (e ainda tenho, mas não tãããão diário), escrevi agendas na adolescência inteira, textos, redações, poesias, sempre escrevi muito, e sempre tive vergonha das minhas produções. E assim como foram com os textos, comecei a ter vergonha dos meus desenhos. Mas vi que eu não preciso escrever pra agradar ninguém. E muito menos desenhar pra agradar. Meus desenhos não estão à venda, e não são encomendas. Desenho pq gosto, e pq quero aprender cada dia mais. E quem sabe, poder aplicar isso na minha profissão. Mas não penso nisso agora.

Sempre tive vontade de ter um blog conhecido e reconhecido, mas a realidade é que eu nunca me esforcei muito pra isso, ou pior, sempre que criei um blog (e foram muitos), tentei seguir uma modinha, ou focar em algo que eu não domino. E isso nunca, nunca dá certo. Acho que o que dá certo mesmo é colocar sua essência e amor em tudo o que você faz, e fazer por você e pra você. Vai ter leitor? Vai ter comentário? Vai bombar? Não sei, e sinceramente, não estou mais preocupada com isso. Só quero um cantinho pra chamar de meu, e poder falar livremente o que eu quero e penso.

Sem mais conversa, vou falar hoje dos meus pinceis, já que adquiri mais um conjunto nessa última semana. Não sei muita coisa sobre pinceis, e nem testei muitos e nem muitas técnicas. Tudo o que sei foi lendo nos blogs de ilustradoras (vou deixar alguns links no final do post) e testando mesmo. Vamos lá!

FABER-CASTELL
Desde que vi no blog de alguma ilustradora (agora não lembro) os pinceis lindos da Faber Castell, fiquei louca por eles, ainda por cima que ela falou que eles são bons, tal... E qd eu os encontrei na Livraria Cultura aqui no Rio, eu não resisti e peguei logo. Ainda por cima que o conjunto custou 18,90 R$, ou seja, cada um por menos de 5,00R$. As cerdas deles são sintéticas, mas super macias, e seguram bem a tinta. O cabo é de plástico bem leve, e essas ondinhas são de EVA e são removíveis


Aqui um teste com cada pincel. Percorri aproximadamente 20 cm com cada um deles, mas a tinta estava muito clarinha, e mesmo aumentando o contraste no photoshop, ficou muito clarinho. Dá pra ver que eles carregam muita tinta e dá pra pintar áreas grandes com eles. No último pincel, a aquarela demorou a secar, e eu virei o papel pra ver ela escorrendo, por que é lindo e pronto. Adorei eles, e considero um ótimo investimento. O único contra é que o pincel amarelo já está manchado de azul, mesmo que eu tenha lavado assim que terminei de usar.


TIGRE SABLE TOUCH E MARTA BRASIL
Eu queria um pincel super fino, tipo, o mais fino que o meu bolso pudesse pagar haha, e terminei comprando esse da esquerda. Eu me arrependi profundamente, pois acho que ele custou mais de 10,00 R$, e eu usei umas 3 vezes e ele ficou com as cerdas abertas, mesmo eu tendo bastante cuidado com ele, como tenho com todos os pinceis. Já vi resenhas dessa linha e todo mundo gosta muito. Não sei se esse pincel por ser muuuuito fininho, aconteceu isso, ou se foi um azar meu mesmo. O cabo dele é de madeira, e preto com as letras douradas, o que dá um aspecto bem sofisticado. Enfim, não gosto dele.
O pincel de marta (direita) custou uns 9,00 R$, e eu gosto dele, mas não achei essa coca-cola toda não. Não sei se é pq a Tigre é uma linha mais acessível, e ele não tem essa qualidade toda, mas já vi resenha em que a vlogueira ama os dela. O cabo dele é de madeira e marrom com letras brancas. Não achei bonito não. Enfim, eu gosto dele, mas esperava mais.
Eu não compraria novamente pincel de nenhuma das duas linhas, a não ser que eu pudesse testar antes.


Aqui o teste do rastro dos pinceis acima. Novamente, tentei percorrer 20 cm, e como se vê, no sable touch não chegou nem à metade do caminho. Já o marta carregou bem, acho que no primeiro rastro o pincel estava com pouca água. Observem meu ondulado uniforme... SQN!


TIGRE FINE TOUCH
Esses são os meus queridinhos de toda a vida. Tenho eles desde que comecei a faculdade (março/2014), e uso tanto pra guache quanto pra aquarela. Dá pra usar nas duas técnicas pois as duas tintas são à base d'água. Tenho 7 pinceis dessa linha, e só tem um deles que eu me arrependo de ter comprado, pois foi um dos mais caros, e eu não consigo fazer nada com ele! Mas nem é por qualidade do pincel. É só por que não me adaptei mesmo, e é o nº2 da série 441. Mas meu filhote adora ele. Ele se acha um artista usando. E é sim, o meu artista preferido <3
O cabo deles é de madeira, e a cor é vinho, meio metalizada. São lindos, gente! Eu acho que o número de série está relacionado ao formato do pincel. E o meu queridinho é o primeiro da foto. Como eu geralmente pinto áreas pequenas, uso ele em 80% das vezes. E como falei, ele foi comprado no começo da faculdade e está novinho ainda, por isso, não entendo o que aconteceu com o sable touch. Falta de cuidado não foi.


Aqui o teste dos pinceis, na ordem que eu os dispus na foto acima, e na mesma área dos outros pinceis. Dá pra ver que eles carregam bem a tinta, mas começam a dar uma falhadinha no final já. Mesmo assim, considero um ótimo custo benefício pra quem está começando, e não tem dinheiro pra investir fortunas em pinceis de cerdas naturais. A linha é muito boa, e os pinceis bem macios. Adoro e compro sempre que precisar.


Enfim, esses são os pinceis que tenho, e espero não comprar mais tão cedo, pois não tenho necessidade no momento. Deem uma olhada nesses links aqui também que vão aprender muito sobre pinceis: (x) (x) (x) (x)

E se você gostou do post, acompanhe o blog nas outras redes sociais facebook, instagram, tumblr e twitter
Obrigada e até a próxima ;)










0 comentários:

Postar um comentário